Produtos

Home > Produtos > Como Diagnosticar a Perda Auditiva

Acesso a área restrita

Como Diagnosticar a Perda Auditiva voltar

A avaliação audiológica é composta por exames objetivos e subjetivos. Veja alguns testes que você poderá ser submetido a qualquer momento:

Adulto

Em adultos, é importante lembrar que na maioria dos casos a perda auditiva se agrava ao longo do tempo. Por isto, quanto mais cedo a perda auditiva for detectada e tratada, melhores serão as chances de prevenir sua progressão e obter os melhores resultados possíveis no tratamento da audição.

Emissões Otoacústicas (EOA) 

  • Um pequeno dispositivo ligado a uma máquina é colocada na orelha do bebê.
  • O computador envia sons para o ouvido interno (cóclea).
  • O "eco" do som que vem do ouvido interno é gravado.
  • O "eco" é comparado com o normal funcionamento do ouvido interno.

Potenciais evocados auditivos do tronco encefálico (PEATE)

  • Um dispositivo pequeno que emite estímulos sonoros é colocado na orelha do bebê
  • A máquina mede a resposta do nervo auditivo para ao som
  • A resposta é adaptada para crianças com audição normal
  • Teste de triagem anormal não significa que há um problema de audição. Se seu bebê falhou na triagem auditiva, você deve consultar um especialista em audição de crianças (otorrinolaringologista e fonoaudiólogo) para uma avaliação auditiva completa. Na seção "encontre uma clínica e um especialista" você pode encontrar uma lista de especialistas disponíveis no seu país.

Audiometria Tonal Limiar 

A Audiometria Tonal Limiar é uma avaliação para determinar os limiares auditivos. É um teste realizado em cabina acústica e com utilização de fones para avaliar a via aérea e vibradores para avaliar a via óssea.

Imitnaciometria

Para crianças de qualquer idade.

Testes desenvolvidos para avaliar como a membrana timpânica se move em diferentes condições de pressão do ar.
Este teste permite que você avalie os problemas no ouvido médio (como secreção atrás do tímpano).

Para saber maiores informações sobre a Perda Auditiva em Adulto clique aqui.

Criança

A Lei Estadual 16280 de 2006 institui a Política Estadual de Atenção à Saúde Auditiva e exige que os recém nascidos sejam submetidos a Triagem Auditiva Neonatal Universal (TANU) na maternidade, antes da alta hospitalar ou em unidade da rede estadual de saúde auditiva garantindo condições para que a identificação dos problemas auditivos nos bebês seja feita até os 6 meses de idade.

Com essa ação, permite a identificação da perda auditiva e possibilita um tratamento ou intervenção precoce para dar ao bebê a melhor chance de desenvolver a linguagem oral.

No caso de crianças além dos exames citados para adultos existe mais 2 tipos de avaliações que podem ser realizadas:

Audiometria de Reforço Visual (VRA)

Para crianças de 6 meses a 2 anos. (Capaz de sentar-se e de ter controle de cabeça).

Teste desenvolvido para detectar os padrões mínimos de resposta auditiva. Envolvendo o uso de fones de ouvido ou alto-falantes onde a criança é incentivada a virar a cabeça em direção a um sistema de reforço de som com um visual.

Audiometria Condicionada 

Para crianças de 2 a 4 anos de idade.

A criança é convidada a fazer algumas coisa quando escuta um estímulo sonoro (por exemplo, colocar um anel em um pedaço de madeira). Isto é semelhante ao teste para adultos, que apertam um botão ou levantam as mãos quando ouvem um som.

 

Para saber maiores informações sobre a Perda Auditiva em Criança clique aqui.